A tentativa

Depois de insistir consigo mesma para pôr em prática o seu plano, Sofia conseguiu driblar o medo e a ansiedade para finalmente partir à ação. Se fugir é a única saída, que eu fuja para muito, muito longe, ela murmurava para si mesma.
Há como fugir de casa, de alguém, de várias pessoas. Mas e como fugir das próprias lembranças? A cada segundo, perguntas impossíveis inundavam sua mente, deixando-a ainda mais sem rumo. Desesperada, Sofia optou pela solução mais óbvia: Fazer o contrário daquilo que fazia há muito tempo. Respirou fundo e decidiu que era exatamente aquilo que iria fazer, e que nada mudaria a sua decisão. Seu plano teve um incício brando. Nada de radicalizar as roupas, ou o cabelo, ou o jeito de falar. Sua ideia começava com uma pequena ação que aos poucos, afastaria as lembranças mais suaves. Gradativamente, essa pequena ação se tornaria mais frequente até o ponto dela se esquecer completamente do seu passado doloroso.
Nada de se envolver com pessoas sãs. Nada de radicalizar também, sua vida era muito importante para ser posta em risco por uma ideia idiota que talvez nem funcionasse. Para começar, Sofia decidiu caminhar por lugares diferentes, vendo gente diferente. Ver era o primeiro passo. Conhecer, o segundo. Para sua sorte, Sofia conseguiu conhecer pessoas muito melhores do que imaginava. Até que conheceu a pessoa perfeita para o que queria, exatamente o contrário do que estava acostumada a ver. O tipo completamente errado para Sofia, perfeito para o que fora planejado. E aos poucos, Sofia foi ganhando a confiança do rapaz estranho com quem estava se envolvendo. Nos olhos escuros havia desconfiança, mas que com o passar do tempo foi se tornando irrelevante para ela.As roupas carregavam nomes de marcas importantes. O cabelo impecavelmente liso, escuro e curto. No andar, um jeito malandro, diferente de tudo que Sofia já havia visto. O rapaz não aparentava ser má pessoa, mas era exatamente o que Sofia estava procurando. E dia após dia, o jeito cativante de Sofia – que agora não era mais a mesma – foi conquistando o tal moço. E de tantos laços criados com o rapaz, a relação deles foi se tornando demasiadamente apertada; sorte de Sofia ter percebido isso logo. Talvez aquele rapaz fosse exatamente a pessoa que ela precisava para por suas ideias em ação, única e exclusivamente para isso. Uma relação profissional, por assim dizer. E por mais que ela quisesse tê-lo por perto, ela percebeu que depois não conseguiria fazer com que ele saísse de sua vida. Isso não seria um problema; com o tempo a amizade deles foi se tornando ainda mais leal, mas talvez ele não quisesse etacionar a relação na amizade. Talvez ele esperasse mais de Sofia. Temendo se tornar indispensável para ele, Sofia se distanciou dos olhos escuros do rapaz até que eles a perdessem completamente de vista. Tudo que havia posto em jogo foi perdido. Agora, só lhe resta perceber que com tudo isso ela ganhou experiência, que poderá ser usada na próxima tentativa. E lá está Sofia de novo, partindo, outra vez, do início.

_apple__emote_by_aha_mccoy

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s